Arquivo | Junho, 2012

Quanto mais tenta, mais corre atrás.

25 Jun

Mas se amar fosse fácil e monótono, criariam um livro explicando cada passo. Explicando que, se tu sentir ciúmes demais, tu pode perder, se tu demonstrar de menos, também pode perder, se tu ser grossa, chata, fria, procurar se resguardar, tu pode perder, se tu for grudenta demais, carinhosa demais, amorosa, demais, se tu demonstrar demais, tu também pode perder. Se amor fosse fácil, não existiria dor. Se amor fosse fácil, ao invés de beber água a gente amaria pra matar a sede. Amar não é fácil, amar é tu aceitar as complicações do outro sendo que não aceita nem as tuas, amar é tu entender no outro algo que tu não entende nem em ti mesmo. Mas com tudo, se amar matasse, todo mundo já teria morrido. Amor, mesmo sendo chato, a gente não larga de mão. Você é como o amor, e é o meu amor. Chato, insuportável, e todo o dia eu penso “dessa vez vou desistir de ti, é sério”, mas daí amanhã eu me apaixono novamente. Amanhã eu já to de joelho na brasa novamente. É assim, amor é tipo eu e tu. A gente tenta desistir, mas quanto mais tenta, mais corre atrás.

Anúncios

Às duas da manhã.

9 Jun

Sexta, enquanto eu morria de dor de dente, decidi ir ao supermercado – às duas da manhã. Enquanto eu pegava as frutas e John empurrava o carrinho, começou a tocar uma música e eu comecei a dançar. Mas não queria dançar sozinha, então fui dançar com ele, que entrou na brincadeira, rodopiando comigo, me dando beijos e abraços.

Foi quando um senhor, de uns 40 anos, ficou sorrindo pra gente, de longe, só analisando. Ele passou por nós e disse “Isso faz bem, continuem assim.”, com um sorriso nostálgico.

Tenho certeza que ele já dançou com alguém que ama no supermercado.

PS: Antes que venham me perguntar, esse é um texto fictício, ou seja, NÃO ACONTECEU COMIGO! E mãe, antes que você me falar comigo, John é um vocativo, tá?