Arquivo | Julho, 2012

She talks with the city, but the city doesn’t talk.

31 Jul

Image

Ela usa um vestido branco. Ela vê as luzes, ainda estão dizendo “volte”. Ela está de saída mas ainda não foi embora. E eu começo a acreditar nela quando diz que a cidade vai salvar o amor dela. Não a deixe! Eu sei exatamente o que ela está procurando. Mas ela sabe que é uma foto que está ficando cada vez mais fraca. Mas não posso deixá-la ir, por isso estou lhe dizendo. Eu quero amá-la mais do que todas as coisas que você queria, do que todas as coisas que você não é. Você que tudo, e achou isso na cidade. Mas a cidade não fala. Ela usa uma cruz de ouro, lança sua pele mas nunca saí. Ela escuta os anjos na rua, hoje a noite enquanto anda, eles estão cantando suavemente “o amor está bem atrás de você.” Ela flutua fora através de uma sala lotada. Ela lembra as linhas das casas, e das luzes da cidade acendendo. Ela fala com a cidade, mas a cidade não fala.

Chorar não resolve nada.

12 Jul

Image

Aprendi do pior jeito que chorar não resolve nada. Chorar não trás ninguém de volta. Não te leva no passado pra consertar coisas que você gostaria de não ter feito. Não te ajuda a fazer certo no futuro. Não vai fazer aparecer um namorado perfeito. Não vai criar uma família perfeita. E mesmo sabendo de tudo isso, eu já chorei na esperança de ter alguém de volta. Chorei quando me arrependi de ter feito muitas coisas. Chorei porque queria fazer diferente no futuro. Chorei porque queria que alguém me amasse de verdade. Chorei porque queria uma família. E nada resolveu. Mas, não sei porque, eu apenas sei, que eu ainda vou chorar muito, e que nada, nada vai se resolver. Porque a vida é assim. A gente tem que chorar até aprender a enxugar lágrimas e sorrir.

Ela sabe como guardá-los.

11 Jul

Image

Ela não tem problemas com segredos, ela sabe como guardá-los. Ela nunca sentiu necessidade de contá-los. E eu não tive problemas falando ou acreditando nos meus instintos que talvez esse é um que eu deveria saber. Mas enquanto estou aqui o demônio no meu ombro vê, rindo, que a única coisa que eu não consigo ter é a que eu preciso. Ela é as palavras que eu não consigo achar. Como é possível que a única coisa que está me matando me faz sentir tão vivo? E eu não conseguia falar, eu não conseguia respirar para salvar minha vida. Todas as minhas chances se foram como navios afundando. Eu irei afundar ou a farei minha. Minhas cordas vocais estão brigando, minha boca gosta de me contrariar, nunca diz as palavras que vem em minha mente. Eu trouxe um graveto para uma briga onde se usam armas, e estou estou preso com minha língua amarrado. Eu corro mas não posso esconder que está sempre lá.

Falando de saudade.

10 Jul

Image

Saudade é um sentimento que quando não cabe no coração, escorre pelos olhos.” Algo que sinto assiduamente, convenhamos. Saudades do que foi, do que é e do que será. Saudades de um amigo, de um amor, de um até então exclusivo estilo de vida que costumava ter. Sinto saudades de tudo, amor meu. De objetos, de pessoas, de sentimentos… “Aos olhos da saudade, como o mundo é pequeno!” E acho que, apesar de causar tamanho sofrimento, ela tem um ponto positivo. Pois, se não fosse ela, quem ia aumentar a vontade de ser ver, de se querer? Quem ia nos fazer amar uns aos outros, mesmo com a distância presente? Ela também nos fortalece. “A ausência apaga as pequenas paixões e fortalece as grandes.” Torna-nos mais implacáveis e fortes para enfrentar o que houver de pior na vida. ”A ausência cura o amor”, de certa forma. Mas tudo tem seu ponto forte e fraco mesmo, não adianta negar. (…) Saudades… “Ausência física, ausência da voz e do cheiro, das risadas e do piscar de olhos, saudade da lembrança que ficará na lembrança e em algumas fotos.”

Ela é as palavras.

2 Jul

 

Ela tem a alma intensa, mas intensidade costuma assustá-la. Peito cheio; cheio de orgulho, e ainda sim reclama de buracos; buracos que ninguém se atreve a tentar preencher. Costuma fechar os olhos ao perceber que está quase chorando porque prefere evitar as lágrimas, mas incrívelmente, não deixa de enxergar a verdade à sua frente. Complexa, e ao mesmo tempo, fácil de entender. Gosta de se mostrar fria, e aparenta ter coração de gelo, mas se derrete facilmente com meiguice e carícias; é sensível e amável, só não costuma ser compreendida do jeito certo. Daquele tipo raro, que no início, você vê tanto mistério que chega à se assustar. E que com o passar do tempo, ainda sim, não consegue decifrá-la; só passa à aceitá-la. Passa à aceitá-la e à amá-la, exatamente como ela quer, exatamente como ela merece.